Chá romani – ou chá cigano

O texto de hoje é uma daquelas belezas que a gente encontra na internet e se transformam em um presente. Quem escreveu foi Jessica Reidy, uma roma (como ela prefere ser identificada, ao invés de cigana) norte-americana. Além de escritora, ela dá aulas de escrita criativa, Yoga e às vezes dança. Seus textos buscam a conscientização das pessoas para que entendam que o povo cigano é um povo real e não seres míticos. Este texto em especial traz uma receita de um chá apreciado pela sua família, no qual ela e sua avó costumam ler as folhas como oráculo. 

Esta é uma tradução livre que fiz e espero que gostem ❤

Continuar lendo

Anúncios

Ciganos e punhais – mitos e histórias

Ficha criminal de Fray Pablo de San Benito (1774). O escrivão desenhou a arma com a qual foi cometida o homicídio, um “cuchillo flamenco”.

Sempre existiram mitos e estereótipos sobre os ciganos. A figura romântica do cigano é de que, apesar de ser de um povo festeiro, é um sujeito armado com uma faca presa em uma faixa na cintura. Exaltado, se um cigano for afrontado, não pensa duas vezes e saca seu punhal ou navalha para resolver a questão. Provavelmente essa imagem deve-se aos toureiros ou porque muitos ciganos de Triana eram açougueiros. Mas também é possível que essa fama tenha se dado porque eles realmente carregavam armas consigo. Continuar lendo

Dica de música: Rumba Portuguesa

Não há registros precisos de quando os ciganos chegaram em Portugal. Embora documentos falem sobre a presença do povo nômade em 1510, é provável que estivessem ali há mais tempo, pois em 1493 os ciganos já habitavam Madri, na Espanha. 

Geralmente andavam em grandes grupos, de 80 a 150 pessoas, lideradas por um homem. Para garantir a autorização de sua entrada em um vilarejo, diziam que eram cristãos peregrinos à procura da proteção de um nobre. Aceitos, logo causavam grande fascinação e medo na população devido às suas roupas e costumes diferentes, cores e perfumes. Viviam de apresentações de espetáculos circenses, de dança e de adivinhações do futuro. Com isso, passavam a ser associados às práticas pagãs que ainda eram proibidas especialmente na Península Ibérica católica, fortemente marcada pela Inquisição. Continuar lendo

Dica de música: Y no provocan

Danca cigana_brigittePedro Pubill Calaf, mais conhecido como Peret, nasceu em 1935 em Barcelona, uma cidade espanhola com grande influência da cultura cigana. Por isso, desde criança era encantado pelo baile e cante flamenco. Em 1947 gravou seu primeiro disco, sem muito destaque. Mas foi na década de 1960 que seu trabalho começou a ganhar projeção, tornando-se conhecido em toda a Espanha e internacionalmente.
Continuar lendo

Bailado cigano com Punhal

O punhal é um elemento muito importante na cultura e na dança cigana.

Punhal CiganoAssim como muitas mulheres que celebravam o sagrado durante a Idade Média foram condenadas como bruxas, também os ciganos sofreram muitas perseguições por ter conhecimentos esotéricos. Bruxos, feiticeiros, sacerdotes, ciganos… todos tiveram que adaptar seus cultos para que não fossem presos. A maioria passou a utilizar elementos do dia a dia em seus rituais e os transformaram em mágicos. Muitos usavam caldeirão e colher, outros, como ciganas e ciganos, passaram a usar o punhal e a adaga. Por isso, devemos escolher nosso punhal cigano com muito carinho. Afinal, com ele faremos mais do que danças – faremos rituais.
Continuar lendo

Petit Lenormand, o Baralho Cigano

Os ciganos são conhecidos pela sua sabedoria nas artes divinatórias. No entanto, não existe um baralho cigano propriamente, mas adaptações e maneiras ciganas de se usar os oráculos. Entre eles, o principal, que ficou conhecido como “Baralho Cigano”, tem suas origens no século XVIII.

Marie Anne Adelaide Lenormand nasceu na cidade francesa de Alençon, 1772. Desde pequena, mostrou interesse pelas artes divinatórias. Adulta, tornou-se uma cartomante muito popular e teve clientes de classe média, alta e pessoas influentes como Napoleão, Robespierre e Luís XVIII. Conhecia Astrologia, Mitologia, Cabala, Tarô, Numerologia, Alquimia. Utilizava flores, ervas e talismãs em seu jogo de cartas.
Continuar lendo

Ciganos ursari

Gypsy bearOs Ursari formam um clã cigano do Leste Europeu de origem nômade, numerosos na Romênia, Moldávia, Bósnia e Bulgária, mas também presentes na Itália, França, Alemanha e Grécia. Como em vários outros clãs, a denominação reflete a atividade do grupo – Ursari significa “condutores de ursos”. Apesar de serem domadores de animais selvagens, os Ursari são considerados um povo tranquilo e amigável, que gosta de música e dança e se dá bem com outros clãs. Em sua maioria são cristãos ortodoxos e, na Romênia, chegaram a traduzir o Novo Testamento para seu dialeto local.
Continuar lendo