Dicas de dança cigana oriental + Al Andalus

Olá, pessoal!

No post e vídeo de hoje vamos trazer dicas para Dança Cigana artística com fusão oriental. Semanas atrás a Paula havia me pedido algumas dicas e combinou de que nesta semana estamos trabalhando esse estilo nas aulas de dança.

territorio andalusA música que a Paula sugeriu chama-se Al Andalus. Pra quem não se lembra, Al Andalus é o nome dado ao reino mouro que dominou a Península Ibérica por cerca de oito séculos. Eles chegaram à Espanha pelo sul, vindos do Marrocos, em 711, e ali permaneceram por cerca de oito séculos. Somente em 1492 os reis católicos reconquistaram a região e se deu início à obrigatoriedade da conversão ao cristianismo, ou à expulsão daqueles que resistissem. Foi mais ou menos nessa época que os ciganos começaram a chegar à Espanha.

Os primeiros registros da chegada de ciganos à Espanha são de 1415. Chegavam em grupos de 25 a 100 pessoas e eram bem recebidos. Aos poucos, a atitude política foi se transformando, pois a Espanha desejava se tornar um estado moderno e unificado. Assim, os ciganos também foram obrigados a se converter ao cristianismo, sob o risco de serem expulsos.

Assim, a chegada dos ciganos acontecia paralelamente à expulsão dos mouros, começando um período de convivência entre eles. Fugindo da perseguição, muitos mouros se refugiavam junto às comunidades e caravanas ciganas. Muitos deles foram descobertos, mas tantos outros sobreviveram, mesclando seus costumes e tradições com os ciganos.

flamenco árabeAtualmente, diversos grupos fazem intervenções artísticas simulando esse momento de transição, na tentativa de recriar o ambiente mourisco e exótico de uma época mítica. No entanto, é muito difícil identificar como era exatamente a música e principalmente a dança daquela época. Afinal, já se passaram mais de 500 anos e tudo mudou muito. É importante lembrar que os registros são pouquíssimos, já que os mouros estavam sendo perseguidos e os ciganos não tinham escrita.

Há vários artistas que já gravaram músicas inspirados nessa mistura cultural, como Simpecao, Gipsy Kings e Alabina. E os dançarinos geralmente executam uma fusão entre Flamenco e Dança do Ventre, numa interpretação artística livre, mas que não tem a intenção de realizar um retrato histórico e fiel da dança daquele período.

cigano árabeGeralmente, as dançarinas usam a blusa amarrada embaixo do busto e muitas deixam o umbigo à mostra. O bailado pode trazer cantes, gritos, aplausos, sapateados, tremidos, uso de leques e mantóns (xales), manifestando a alegria, vitalidade e espontaneidade dos povos árabes e ciganos, recriando o ambiente mourisco e exótico de uma época mítica.

A dica que eu dou é, se você quer fazer uma performance com características orientais mas não tem familiaridade com os ritmos árabes, que você escolha músicas que tenham uma parte espanhola mais acentuada. Assim, você pode usar elementos da dança espanhola, com saia e braços, e ir aos poucos se aperfeiçoando na dança oriental.

Hoje vou trazer algumas dicas bem básicas e iniciais para trabalhar o quadril na dança oriental. Espero que vocês gostem e aproveitem bastante 🙂

Anúncios

Bailar com a alma

ar (2)Uma das primeiras coisas que falo às alunas é que dança cigana não é uma dança de coreografia. É uma dança de alma. Claro que existem certos jeitos de bailar e os movimentos próprios que vamos aprimorando com o tempo. Mas sempre digo: a dança tem que vir do seu prazer, e não ser uma dança decorada. Às vezes, as alunas se sentem como se estivessem perdidas, pois durante a música, lembram-se apenas dos mesmos movimentos. E quando insistem em apenas se lembrar dos movimentos, o bailado fica tenso, sem o prazer de se entregar ao bailado. Por isso, às vezes indico vídeos de bailaoras que não usam movimentos muito diversificados, mas se entregam na dança de maneira encantadora.
Continuar lendo

Véu cigano

Cigana com pandeiro (17)

Cigana do Leste Europeu com lenço na cabeça.

Como existem diversos grupos ciganos, é muito difícil dizer categoricamente “tal costume cigano é assim”. Eles podem variar a cada clã. No entanto, é possível identificar alguns costumes que se assemelham entre eles. Como o uso do véu ou diklô para as mulheres.
Continuar lendo

Zambra

danca cigana orientalZambra é o nome do equivocadamente chamado “flamenco árabe”, dançado pelos ciganos de Granada, Espanha. É uma dança muito antiga, e sua origem vem da palavra árabe “zamr”, que significa “noite” ou da palavra “zamra”, instrumento musical árabe de sopro.

Os árabes conquistaram grande parte da Espanha em 711, e ali permaneceram por cerca de oito séculos. Esta região ficou conhecida como Al-Andalus, e era uma província do império muçulmano. Somente em 1492 os reis católicos reconquistaram a região e se deu início à obrigatoriedade da conversão ao cristianismo, ou à expulsão daqueles que resistissem. Continuar lendo

Kalbeliya, a dança cigana indiana

Por volta de 1300 anos atrás, quando o Islã invadiu a Índia, as tribos do noroeste do país (Punjab, Gujerat, Rajastão) escaparam dos invasores islâmicos e foram em direção ao oeste da Ásia Central, Norte da África e Europa, e a maioria nunca retornou para a Índia. As tribos guerreiras que permaneceram na Índia continuaram lutando pela liberdade contra o Islã, mas acabaram derrotadas. Há uma teoria que diz que na Europa, essas tribos teriam sido chamadas de ciganos.

Por Eric Roux-Fontaine

Por Eric Roux-Fontaine


Continuar lendo