Carmen Dauset, a primeira mulher em filme de dança

CARMENCITA-02

Carmen Dauset

Há vários motivos para me dedicar à pesquisa da dança: sou professora, amo a Dança Cigana, amo dançar e sou pesquisadora de História rs.

Como os ciganos foram (e muitos são até hoje) nômades por muito tempo, sua cultura foi influenciada por cada canto que passou e deixou ali também suas influências. Assim, não pesquiso apenas os ciganos e suas origens, mas também as culturas vizinhas, as danças irmãs e filhas. Como o Flamenco, que nasceu por volta do século XVIII como uma dança de apresentação (e não folclórica) inspirada nas danças dos ciganos, judeus e outros povos que habitavam a Espanha.

Há várias pesquisas que falam sobre os mais antigos palos flamencos, mas quando falamos de expressão corporal em movimento, textos não nos bastam. Sempre nos sentimos um pouco órfãos por não saber como bailavam aqueles primeiros mestres que levaram ao mundo o Flamenco. Esse é o caso de Carmen Dauset Moreno (1868- ?), nascida em Almería, Espanha, dita cigana por algumas fontes, e que se tornou uma das primeiras estrelas do Flamenco nos Estados Unidos, no momento em que esta dança começava a se projetar fora da Espanha.

Dauset era conhecida por sua simpatia, graça e beleza. Mandava beijos aos fãs e sempre sorria. Embora sua dança andaluz fosse considerada exótica e não compreendida no começo pelos americanos, logo conquistou seu público. Provocadora, às vezes também dançava vestida de homem, e foi a primeira bailaora de flamenco que os americanos viram de calça. Tornou-se celebridade, posava para anúncios, pintores e fotógrafos. Era uma verdadeira musa, seus shows eram caríssimos e lotados. Dizia-se que tinha uma maneira especial de bailar, voluptuosa, passional e sensual. Mas o que seria isso em um bailado no fim do século XIX?

 

Quando os caminhos se cruzam

Carmen Dauset, por John Singer Sargent.

Carmen Dauset, por John Singer Sargent.

No início da década de 1890, Tomas Edison (aquele da lâmpada elétrica) criou um aparelho pelo qual se poderiam gravar imagens em movimento e depois, individualmente, as pessoas pudessem ver as imagens. Com a Exposição Universal de Chicago de 1893, Edison considerou possível a comercialização de seu aparelho. Para demonstrações comerciais, fez imagens de alguns artistas da época. Entre eles, a renomada bailaora flamenca Carmencita, primeira mulher a ser captada por seu aparelho, primeiro registro em movimento do bailado andaluz. A gravação tem apenas 21 segundos e não tem som, mas é um grande registro sobre o bailado de sua época.

Alguns críticos dizem que Carmencita não era bailaora de flamenco, ou que sabia apenas o mínimo e se aproveitou de sua beleza e exotismo para fazer fama na América. “Críticos” que sabem apenas sobre a dança de hoje. Ao se analisar algo do passado, devemos ter o olhar da História. É lógico que muitas iniciantes de hoje impressionariam muito mais do que Carmencita. No entanto, naquela época, o Flamenco estava se formando, ainda diferente do grau técnico que atingiu na década de 1920 e muito distante de como o conhecemos hoje. De qualquer maneira, é realmente de uma riqueza imensa termos acesso a esse vídeo que conta a história dessa dança, que também é nossa história.

Brigitte Angel

Anúncios

2 comentários sobre “Carmen Dauset, a primeira mulher em filme de dança

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s